Loading...
SEO

10 erros comuns de SEO – e como evitá-los

Erros de SEO e como evita-los

Para todo blog que busca alcançar uma boa presença nos mecanismos de busca da internet, o SEO (Search Engine Optimization) continua sendo a ferramenta principal. Muitas vezes a gente se dedica muito para produzir um conteúdo bacana e esquece de dar atenção a essas boas práticas de SEO, que ajudam de verdade nosso conteúdo a bombar nas páginas de pesquisa do Sr. Google.

Nesse universo internet, são centenas, milhares de blogs de viagem competindo diretamente com você. Conta para mim: você já pensou que pode estar cometendo pequenos erros básicos de SEO, que podem estar prejudicando seriamente o ranqueamento e o sucesso do seu blog?

Mas afinal, quais são os erros mais comuns de SEO?

1 – O tempo de carregamento do site está muito lento

Hoje, a internet é sobre velocidade. Todos que estão surfando na rede querem encontrar bom conteúdo, e querem isso rápido. Você já mediu a velocidade de carregamento do seu site? Faz isso com frequência?

Se a sua página principal ou seus posts estão demorando demais a carregar, seu usuário vai desistir de esperar e vai buscar esse conteúdo em sites mais rápidos. Pior que isso, o Google vai começar a te punir por conta da lentidão do seu site. E a punição do Google é o que? Queda de ranqueamento, mas é claro!

Você precisa otimizar a velocidade de carregamento das suas páginas pra ontem! E isso inclui um conjunto de fatores: um bom servidor e o tamanho das imagens que você coloca no site são só alguns, pra começar. Dá um trabalhão – mas compensa muito quando você vê as páginas do seu blog carregando rapidinho. Se você fica feliz, imagine o seu leitor?

Para testar a velocidade de carregamento do seu site, você pode usar ferramentas gratuitas, como a Google PageSpeed Insights.

2 – Você não tem um sitemap – e seu site não é organizado

O Google não gosta de bagunça. Para dar credibilidade ao seu site, ele precisa “entender” sobre o que você escreve, qual é o seu conteúdo e como ele está organizado no seu blog. E pra isso, a ferramenta mais importante é o Sitemap.

Com um sitemap, você ajuda os robôs de pesquisa a encontrar tudo que está dentro do seu site, de forma organizada e rápida. O plugin Yoast gera o arquivo sitemap.xml, que você deve incluir no Google Search Console para deixar as informações do seu site bem claras para as ferramentas de busca.

Um site organizado é tudo que o sitemap quer encontrar, e o seu leitor também! Existe uma regra que diz que ‘seu leitor deve conseguir encontrar tudo que busca no seu site em até 3 cliques, ou sua organização não é tão boa assim.’  

Faz esse teste no seu site 😉

3 – Seu layout não é responsivo

Já se foi o tempo que as pessoas precisavam de um computador para fazer pesquisas e procurar conteúdo. Cada vez mais, a velocidade dos clicks está na ponta dos dedos e nas telas dos celulares. Se seu blog não está otimizado para uso em celulares, com um layout responsivo que se apresenta de forma amigável em todo tipo de tela, você está perdendo tempo e leitores. E claro que o Google, aquele que tudo vê, vai penalizar o seu site por não se preocupar com isso.

Procure por temas responsivos (tem muitos gratuitos nas plataformas WordPress.org e Blogger, por exemplo). Ah, também vale testar se o seu site funciona bem em vários navegadores e plataformas, ok?

4 – Você não usa Alt Text para suas imagens

Otimização de imagens é um assunto sério. Pense em tamanho, resolução de tela. Isso tudo interfere na velocidade de carregamento do seu site e na experiência do leitor. Mas já pensou que você pode estar perdendo leitores também por não otimizar suas imagens incluindo Alt Text?

Para saber que uma imagem está relacionada a determinada palavra-chave, o Google precisa ler as Alt Text, ou Alternative Text (texto alternativo). Isso nada mais é que a descrição da imagem, que o algoritmo do Google usa para identificar conteúdo visual. Dentro do código HTML, o Alt Text descreve a aparência e função da uma imagem em uma página, sacou? Isso é tão essencial que imagens sem Alt Text dificilmente serão rastreadas pelos robôs do Google. Mas atenção: Alt Text não é a mesma coisa que o título da imagem, ou Alt Title!

Alt Title = nome ou título da imagem, Alt text = descrição, tá? Como no exemplo abaixo:

Erros comuns de SEO - como evitá-los. Erros mais comuns em blogs de viagem

Existe uma ferramenta muito bacana, chamada Image Alt Test, onde você pode analisar sua URL e verificar quais imagens precisam de Alt Text.

5 – Você não estrutura seus posts em tópicos

Mais um tópico que facilita a sua vida com os mecanismos de busca e com os leitores. Todo mundo quer um conteúdo organizado e fácil de ler. Os robôs de pesquisa precisam identificar os tópicos do seu post, para saber se ele responde às perguntas do leitor. Por sua vez, o seu leitor quer encontrar o que ele pesquisa, de forma rápida e organizada.

Quando seu post está em tópicos (utilizando as ferramentas do Editor de Texto) você informa sobre o que é cada parte do seu texto, para o Google e para o leitor. Todo mundo sai ganhando.

Não esqueça que a sua palavra-chave deve aparecer nos seus títulos, especialmente no H1, para reforçar o que está sendo discutindo naquele post! – Bom pro leitor, bom para SEO!

6 – Você não tem uma estrutura de links internos

Links internos são importantes demais para seu site. Além de facilitar a navegação do leitor, os links internos ajudam o Google a dar relevância a determinado assunto dentro do seu blog e conectar o seu conteúdo. Se todos os seus posts sobre Roma estão conectados por link, e você tem bastante coisa publicada, o Google começa a ver a relevância do seu site para aquele assunto, e seu ranking consequentemente pode melhorar.

7 – Você não faz link para sites relevantes

Você não bloga sozinho. A rede está cheia de sites que escrevem sobre viagem, assim como você. Alguns com boa autoridade no assunto – estou falando em Autoridade para o Google, a chamada Autoridade de Domínio, DA de Domain Authority.

Gerar links para outros sites é uma coisa boa para você. Quando os robôs de pesquisa rastreiam esses links no seu site, conseguem identificar melhor qual é seu nicho. A confiabilidade do seu site aumenta.

Se um desses sites de boa autoridade linkar de volta para alguma página do seu blog, aí é que você pode comemorar de vez. Para o Sr. Google, você ganha um ‘pedacinho’ da autoridade desse site maior, e consequentemente, sua relevância aumenta.

Nós também já discutimos sobre a estrutura ideal de links aqui no Hello Blogger, então fica ligado!

8 – Você não rastreia e substitui links quebrados

Seu site pode estar cheio deles, já pensou? Links quebrados são aqueles links que não direcionam a lugar nenhum, seja porque o site não existe mais, ou porque a URL daquela página mudou. Esse tipo de link tem um efeito negativo no ranqueamento do seu site.

Além disso, links quebrados diminuem a qualidade da experiência do usuário no seu site. Já imaginou que chato, você indicar um conteúdo e quando o leitor acessar, não conseguir encontrar nada?

Outra dica relacionada é procurar e corrigir os erros 404 no seu site – aquele erro de página não encontrada. Sempre que você mudar a URL, você precisa fazer um redirecionamento 301 para o novo endereço URL. Isso é essencial para a experiência do usuário no seu blog de viagem!

Não tem a menor ideia do que é erro 404 e redirecionamento 301? A gente explica tudo, passo a passo num próximo post!

Você viu que a lista de plugins essenciais para WordPress que publicamos aqui no Hello Blogger tem dicas para solucionar esse problema chato de redirecionamento?

9 – Você não mantém uma frequência de postagem

Aqui a questão nem é somente quantidade, é frequência mesmo. Os leitores precisam saber quando procurar por conteúdo novo no seu blog. Se você publica um post a cada semana e de repente passa dois meses sem atualizar o blog, os seus leitores vão sentir sua falta! Quem sabe até parar de te acompanhar!

Pior que isso, o nosso amigo Google também. E ele pode punir seu site – isso afeta diretamente a credibilidade e o ranqueamento do seu conteúdo!

É essencial ter um cronograma de publicação e se manter fiel a ele. Se organize e seja criativo! Aproveite nossas dicas para nunca mais faltar conteúdo no seu blog! Conteúdo de qualidade publicado com frequência é a chave do sucesso 😉

10 – Você não sabe usar palavras-chave

Palavras-chave são importantes. Você já sabe que precisa otimizar seu texto para uma (ou várias) palavras-chave, para que o Google entenda que seu texto sobre “O que fazer em Roma” traz dicas importantes sobre as atividades na cidade.

Mas cuidado!

Você não precisa, nem deve, colocar essa palavra-chave infinitas vezes no seu texto. Já imaginou, em um texto de 500 palavras, você ficar lendo o tempo todo “O que fazer em Roma”, de novo e de novo? A quantidade de vezes que você vai citar a palavra-chave depende do tamanho do post. Tente manter o número de citações em torno de 2% da quantidade de palavras do seu post, ok?

O leitor não vai gostar. Nem o Google. Ele vai entender que você está usando de técnicas desleais para melhorar o seu rankeamento. E já imaginou qual vai ser o resultado, né?

E por falar nisso, a última dica:

Dica Bônus – Não faça Black Hat!

Se você nem sabe o que é isso, é hora de parar um pouco e aprender, porque essa é uma das piores coisas que você pode fazer para desagradar o Google. Black hat é um conjunto de técnicas que tem como único objetivo enganar o Google para melhorar o rankeamento de um site ou página.

O que o Google faz, diariamente, é “ler o conteúdo da internet”, com seus robôs de pesquisa, para oferecer os resultados mais relevantes como resultado às buscas dos usuários. São mais de 200 variáveis que ele leva em consideração.

Quem faz Black Hat está tentando burlar essa avaliação e se destacar nos resultados das pesquisas. Segundo as diretrizes para Webmasters do Google, você comete Black Hat sempre que:

  • Coloca conteúdo oculto na página, como textos ou links ocultos, escondidos atrás de imagens, por exemplo.
  • Faz “cloaking”, que nada mais é que camuflar conteúdo na página. Por exemplo, repetição das palavras-chave várias e várias vezes, em letras brancas no fundo branco. O leitor não vê. Já o robô do Google sim. E enquanto você pensa que está melhorando seu ranqueamento, pode estar prejudicando seriamente o seu site.
  • Utilização de palavras-chave irrelevantes para o conteúdo apresentado. Você otimiza seu site para rankear uma palavra-chave que é super procurada nas pesquisas. Você aparece como primeiro resultado das buscas para aquela palavra-chave. Mas o conteúdo que você escreveu fala de outra coisa totalmente diferente.
  • Criação de múltiplas páginas com conteúdo similar. A gente sabe que plágio é crime, e copiar / colar conteúdo de outros sites e blogs não é uma atitude bacana, nem para o Google nem para a blogosfera.

O site do Google Webmasters para Desenvolvedores é uma ótima fonte de pesquisa para mais dicas sobre o que pode e o que não pode fazer na internet. E se você procura por dicas e tutoriais bacanas e simples para melhorar o SEO do seu site, fique de olho nas postagens aqui do Hello Blogger!

5 comments
    1. Klécia Cassemiro

      Que bom que gostou, Liliane! Estamos pensando no conteúdo do blog com todo carinho, e vamos trazer desde posts mais básicos até um material mais especializado aqui no Hello Blogger. E se você tiver alguma dúvida ou sugestão para posts, pode deixar aqui na caixinha de comentários! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *