Carregando...
Vida de Blogger

Hello Blogger convida: Ases a Bordo

Blog de viagem na mídia

Esse mês, a Hello Blogger convida a Ana Luiza Strauss, do blog Ases a Bordo e Canal Ases a Bordo para contar sobre sua experiência com a mídia. Passando pelo Canal GNT, Revista Viagem e Turismo, entre outras.

Recentemente a Ana e toda a sua família foram convidados para gravar um programa na Disney e conta que não é sorte e sim muito trabalho envolvido. Além de contar sobre essa experiência incrível também revela como faz para aparecer na mídia e fortalecer o nome do blog/canal.

Conta pra gente, Ana!

Ases a Bordo na GNT, na Disney

Soubemos que a GNT estava a procura de uma família para levar para a Disney. Uma amiga nossa nos enviou a descrição do que eles queriam. Na hora o André, meu marido e parceiro no blog, pensou “Nossa essa viagem é nossa!”, pois nos encaixavamos em tudo que eles procuravam.

Assim, gravamos um primeiro vídeo em casa, nos apresentando e contando um pouquinho do nosso amor pela Disney. Fizemos como sempre fazíamos os vídeos do nosso canal sem muita “firula”, abrindo câmera e conversando. Esse vídeo foi selecionado, e um dois meses depois estávamos embarcando.


Sorte é quando a oportunidade aparece e você está preparado para isso.

Acreditamos que “Ahhh, foi sorte!” é desculpa de quem tem preguiça para justificar o sucesso dos outros. Foi o reconhecimento do nosso trabalho, esforço e dedicação. Começamos o canal no YouTube em 2014, depois veio o blog.

A nossa missão é incentivar outras famílias a perceberem que viajar com crianças é trabalhoso, mas muito recompensador e sobretudo necessário para o desenvolvimento das crianças e para apertar os laços familiares. Trabalhamos diariamente para divulgar essa filosofia.

Viajamos com as crianças desde que são muito bebês e gravamos essas aventuras. A princípio o objetivo era apenas um registro da infância deles para o futuro. Depois, com a ideia do canal, gravávamos eles contando como tinha sido cada viagem, no estilo bate-papo.

Por isso, eles praticamente não sentem muito a presença da câmera, pois ela sempre esteve junto nas viagens, registrando o que eles fazem. Além disso, os dois gostam de falar, são crianças comunicativas, que nunca tiveram muita vergonha. Tudo o que falam nos episódios veio da cabecinha deles, não tem nada ensaiado.

Juntando tudo isso, acreditamos que essa familiaridade com as lentes e o fato de serem comunicativos,  deve ter sido um fator que contou bastante na seleção. Não sabemos ao certo os critérios do pessoal da GNT/Disney. Mas imaginamos que teria sido muito mais complicado gravar com crianças que não estão acostumadas a falar “em público” ou que são tímidas e tem vergonha.

Experiência com uma equipe de gravação

Sim, essa foi uma das diferenças que eles sentiram no início. Era uma equipe de profissionais grande, mais ou menos 20 pessoas no set de filmagem, a maioria americanos. Naquele momento não era mais a mamãe ou o papai com uma câmera na mão.

Gravamos com 3 câmeras nos acompanhando pelos parques, diretor, assistente, fotógrafo, figurinistas, maquiadores, enfim, cada um na sua função, mas todos muito carinhosos com as crianças.

Além disso tudo, tinha a Fernanda Rodrigues, que era a “ídola” da Alice, que sempre assistia ao programa em casa e sonhava com uma festa no “Fazendo a Festa”. Só não imaginava que seria a melhor do programa, na Disney!

Mas, logo no primeiro dia já conseguiram se ambientar e como os dois são bilíngues (minhas dicas de bilinguismo) em pouco tempo estavam conversando em inglês com toda a equipe.

Uma coisa muito bacana que observamos lá, foi a filosofia Disney na prática. De maneira nenhuma a filmagem poderia atrapalhar a experiência dos visitantes que estavam nos parques.

Por isso, todas as cenas nas atrações mais concorridas eram gravadas antes dos parques abrirem, justamente para não interferirmos na experiência do turista dentro da Disney.

Nosso dia de filmagem começava cedo e terminava cedo. Só algumas cenas mais fechadas (closes) eram gravadas depois que os parques abriam. Como as crianças estão acostumadas a acordar cedo para ir para escola (eles estudam de manhã) e mais a diferença do fuso, foi praticamente acordar no mesmo horário do dia a dia. O que foi mais cansativo foi o calor da Flórida no verão!
* Aqui nossa live com a Ana Novaes do Disney Guia, falando sobre os bastidores das gravações.

Experiência da edição caseira

Aqui somos só nós dois que colocamos a mão na massa. Talvez pela nossa escolha profissional, somos publicitários, gostamos muito de trabalhar com imagens. Tanto eu quanto o André captamos as imagens durante as viagens. Nos depoimentos, onde aparece a família toda, contamos com a ajuda de um tripé.

Como sou editora de comerciais, editar os vídeos de viagem do canal é um grande prazer pra mim. E, brinco que é muito mais legal cortar cenas dos meus filhos se divertindo na praia, do que cenas de atores em comercial de sabão em pó (rs). O André me ajuda na parte gráfica, dando ideias de titles e fazendo os thumbs, pois é também designer.

Sabemos da nossa facilidade profissional e admiramos muito quem vem de outras áreas (advogados, engenheiros, nutricionistas, etc) que aprendem praticamente tudo em tutoriais e fazem trabalhos muito bem feitos. Mas, essa é uma escolha pessoal, tem gente que não leva jeito, outros odeiam!

Daí vale a pena pensar em contratar um editor e ser mais feliz. Porque não é nada fácil manter um canal com a qualidade que a audiência merece e a frequência que os algoritmos do YouTube “exigem” para ter um bom ranqueamento.

Conteúdo de qualidade sendo reconhecido

Em parte acredito que a qualidade do canal e do conteúdo do blog é sim um chamariz. Se o nosso trabalho não fosse “bonito” e “útil” poucas pessoas iriam querem falar dele. Mas acho que por estarmos no nicho do nicho e falar de viagem em família em vídeo, ajudou bastante.

Quando você busca se especializar em algo que realmente gosta e faz bem feito, mesmo arriscando ter uma audiência menor, acaba juntando talento e vontade. E isso é perceptível para os outros, naturalmente você vira um “expert” naquilo.

O André, quando decidiu fazer um novo blog só sobre viagens com milhas e pontos, estávamos entrando de novo no nicho do nicho. Mas é um assunto que ele gosta e domina muito. E mesmo a audiência do subnicho sendo menor, ela é muito cativa e engajada. E isso é algo que as marcas estão já vendo com outros olhos.

Ases A Bordo na mídia

Infelizmente não temos contatos quentes na mídias. Algumas entrevistas chegaram através do canal do YouTube, nem tanto pelo blog. Hoje existem muitos blogs de viagens em família, mas poucos documentam suas viagens em vídeos.

Outras entrevistas foram “cavadas”. Eu tenho uma listinha aqui de revistas/programas onde queremos ver uma matéria nossa. Daí é procurar o jornalista que é responsável, ou que já fez matérias similares e entrar em contato.

Geralmente já oferecendo algo bom em troca. Não mando aquele primeiro email de apresentação, já mando de cara a matéria com uma breve descrição no final de quem eu sou.

Por exemplo, quando entrei em contato com a Viagem e Turismo, sabia que tinham uma coluna onde publicavam dicas de viagem de “terceiros”.

Ao invés de oferecer algo que eles já tinham publicado mil vezes em suas edições “Dicas de Viagem com Crianças na Flórida”, ofereci algo que ninguém falava “Dicas de Viagem com Crianças na Texas”. E assim, saindo do lugar comum, você tem mais chances de publicarem suas matérias.

Visibilidade do Ases a Bordo

Nunca recebemos nada para estar na mídia, seria lindo (rs)! Estar na mídia é sim algo que ajuda muito a divulgar o nosso trabalho. Muitos dos nosso seguidores de hoje nos conheceram através de alguma matéria ou programa que participamos.

Percebemos crescimento quando é em mídia online, onde tivemos o link do blog ou do canal ali bem fácil para a pessoa clicar. Mídia impressa, onde é preciso digitar o url ou procurar nas redes, é menos eficiente. Mas claro que essa “conversão” de audiência só vai acontecer se houver empatia e o conteúdo que você ofereceu foi de valor.  

Ana é mãe corujíssima, publicitária, editora de imagens e adora dançar. Começou sua carreira de viajante deitada no porta malas de um Passat com os bancos rebatidos e sobreviveu. Seu pai, arquiteto, comprou um caminhão e o transformou em um motorhome, onde acamparam Brasil afora.

Blogs:

asesabordo.com.br

viagemcomcrianças.com.br

viagemcommilhas.com.br

Redes:

youtube.com/asesabordo

facebook.com/asesabordo

instagram.com/asesabordo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *