Loading...
Conteúdo

Como ser mais criativo escrevendo sobre viagem

Como ser mais criativo escrevendo sobre viagem

Quantos blogs de viagem existem por aí? A gente já perdeu as contas… Se a gente for contar quantos posts sobre Paris, Rio de Janeiro ou Nova York estão publicados na internet, aí é que o número fica mesmo impossível de acompanhar. No meio de toda essa concorrência, a escrita de viagem é um diferencial.

Sair da caixinha, ir além do básico, inovar é um desafio diário pra gente. E hoje estamos aqui para falar exatamente sobre isso: como ser mais criativo escrevendo sobre viagem!

Leia também: Como manter um diário de viagem para inspirar seus posts

Escrita criativa para blogs de viagem: algumas dicas práticas

Não tem fórmula mágica, nem segredo. Para escrever melhor, é preciso muito treino e mão na massa. Você aos poucos vai encontrando a sua voz, o que você tem de ÚNICO para apresentar para sua audiência. Mas até lá, tem um longo caminho a percorrer.

Para um bom escritor de viagem, cada destino é um despertar de sentidos. Cada lugar e acontecimento tem o potencial de se tornar uma história, uma narrativa, uma lição.

Quer saber como ser mais criativo escrevendo sobre viagem? Temos umas dicas práticas pra você:

Foco no destino

Spud Hilton, editor da sessão de viagens da revista San Francisco Gate, já dizia: “Se você quer apenas escrever sobre você mesmo, isso não é escrever sobre viagem”. Em um blog de viagem, o nome já diz: a experiência deve girar em torno do destino, das viagens, dos lugares.

Você não é o mais importante. O mais importante é o que você vive na viagem. Percebe a sutil diferença?

Você pode sim ser personagem dos seus textos. Contar o que viu, viveu, provou. Mas tudo para contar ao seu leitor o que espera por ele na viagem.

Um post deve conseguir, pelo menos, três missões: ser informativo, ser divertido de ler e, por fim, satisfazer o autor e o leitor. É preciso encontrar o equilíbrio para conseguir esses três grandes objetivos, lembrando sempre que o destino precisa ser o centro da narrativa.

Seja descritivo, nunca prolixo

“Não diga, mostre”. Essa frase ficou na minha cabeça desde a primeira vez que a ouvi. Não basta dizer que Bruges é uma cidade de conto de fadas. Mostre o que isso significa. Descreva as cores, os sons, os cheiros, as impressões da forma mais intensa e vívida. Como você sentiu quando estava lá.

Sua missão é teletransportar o leitor para o seu destino, como se fosse ele quem tivesse viajado para lá.

Mas nunca, nunca deixe o seu texto muito longo. Ninguém precisa de adjetivos demais. O segredo de um bom texto é que excluir tudo que não é essencial. Nenhuma palavra que poderia ser cortada sem prejuízo deve permanecer depois de uma boa revisão.

Leia também: Como escrever títulos irresistíveis de serem clicados

Valorize sua perspectiva e saia da caixinha

Essa é uma dica de ouro de como ser mais criativo escrevendo sobre viagem. Não, você não é a primeira pessoa que já subiu na Torre Eiffel. Mas na hora de escrever o seu post, é a sua identidade que precisa estar ali. O que você pode escrever para que seu texto sobre a Torre Eiffel seja original, único, diferente dos outros milhares de textos já escritos?

Talvez pensar sobre isso faça você gastar umas horas antes de sentar na frente do computador para escrever. No começo, podem surgir muitas dúvidas sobre como se expressar para escrever esse texto único. O que pode te ajudar nessa hora é a experiência que você viveu.

Busque suas lembranças de viagem, relembre, reviva o momento. Ouse. Saia da sua zona de conforto. Ninguém nunca disse que ser inovador é uma tarefa fácil. Mas com certeza, é sempre possível.

Se inspire (e critique) quem você admira

No livro Roube como um artista (de Austin Kleon), o autor defende que nada é totalmente criado. A gente vive pegando inspirações e referências nos livros, na TV, no amigo do blog ao lado. Não entenda isso como plágio ou cópia, porque não é disso que estamos falando.

Estamos falando de analisar os blogs concorrentes e ir anotando o que você gosta e o que não quer no seu blog de jeito nenhum. Pegar boas referências, analisar ideias e ter um olhar crítico até sobre os blogs que você admira muito ajuda a construir sua própria identidade.

Ok, esse blog tem sucesso. Mas o que eu faria diferente? O que eu não gosto na forma que ele trabalha?

Pegue tudo que você garimpou, analisou e aprendeu. Com esse grande brainstorm, chegou a hora de fazer o seu trabalho: único e quem sabe até melhor do que a sua referência original.

Cada história é uma chance de fazer o leitor viajar

Ninguém quer ouvir a mesma história sobre um destino. Na verdade, isso é chato, e até perigoso (veja o que a incrível escritora Chimamanda Adichie diz sobre o perigo da história única).

Você está pronto para se tornar um escritor melhor? Temos um e-book sobre escrita criativa que pode te ajudar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *