Loading...
Conteúdo

Como manter um diário de viagem para inspirar seus posts

Como manter um diário de viagem

Você está viajando numa cidade incrível e visita um restaurante local para provar um prato típico. A comida é deliciosa, o ambiente é perfeito e o dono do lugar bate um papo bacana com você, cheio de dicas locais para curtir a cidade. Você experimenta uma experiência incrível de viagem, digna de compartilhar com os leitores do blog.

Ali, com as emoções à flor da pele, você é capaz de jurar que vai lembrar desse dia pra sempre. Mas a memória, querido blogger, é uma amiga bem traiçoeira. Daqui a um mês ou um ano, quando você for escrever o post daquela experiência, será que você vai lembrar das sensações, sabores e nomes daquele dia especial?

Provavelmente, muita coisa vai se perder no tempo. E depois você vai procurar detalhes em fotos, procurar a nota fiscal do restaurante, mas nada disso adianta: qual era o sabor do prato? Com quem você conversou? O que fez daquele dia tão especial? Lembrar dessas informações vão dar o seu toque pessoal ao post, dando significado e informações especiais para a sua escrita de viagem. Mas como fazer para não esquecer de tudo isso?

Diário de viagem: como fazer um pra você

Manter um diário de viagem vai te ajudar muito a melhorar a sua escrita de viagem (e ser um blogueiro melhor!). A prática de andar com um bloquinho para escrever sobre seu dia e quem sabe guardar notas e bilhetes das experiências de viagem é o segredo escondido dos grandes blogueiros.

Um texto marcante para o leitor combina a dose certa de emoção e informação – e ele nasce muito mais fácil quando você consegue reavivar todas as memórias pelas páginas do seu diário de viagem.

Viaje sempre com um bloquinho

Um caderninho pequeno, que cabe no seu bolso, pode ser o seu melhor amigo de viagem. Ali você vai anotar preços, cores, conversas, sabores. Pequenos pedaços de informação que vão te ajudar a lembrar daquele dia, mesmo daqui a muitos anos.

Uma boa prática é anotar esses pequenos detalhes durante o dia, e à noite, no conforto do seu hotel, fazer um pequeno relato de tudo que você viveu e como isso impactou você. É ali, com aquele pequeno rabisco do seu dia, que seu post vai começar. Ali, você começa a processar as emoções. Você ainda vai estar remexido por toda empolgação de conhecer lugares novos, mas vai ter a oportunidade de refletir sobre tudo e evitar um dos maiores erros de todo blogueiro: o deslumbramento.

Faça do diário de viagem um hábito

Muita gente reclama que não tem tempo, ou não consegue escrever posts durante a viagem. E eu entendo, eu mesmo preciso da calmaria da minha casa, sem a adrenalina da viagem, para juntar ideias e palavras num texto que eu goste para publicar.

Para pessoas assim, o diário de viagem é uma ótima opção. Um diário de viagem não precisa ser organizado. São notas, pequenos recados pessoais, a mancha da xícara de café daquela parada inesperada por causa da chuva. Escreva, escreva, escreva sobre tudo, até o que parece ‘bobagem’.

No começo, escrever um diário de viagem vai parecer estranho. Talvez você precise se esforçar lembrar de fazer notas ou para dedicar um momento do dia para o diário. Mas com tempo e dedicação, usar seu diário de viagem para contar detalhes do dia vai se tornar um hábito. Cada vez que algo interessante acontecer, você vai instantaneamente pegar o bloquinho no bolso e anotar sobre o momento, e isso vai ajudar muito na hora de escrever o post quando você voltar pra casa.

E se mesmo assim, você não conseguir colocar o hábito de escrever no dia-a-dia de viagem, tenho outra dica pra você. Ainda com tudo bem fresquinho na memória, que tal aproveitar as horas de vôo, ou o tempo no ônibus voltando pra casa para refletir sobre as experiências vividas e escrever os destaques no seu diário?

Guarde pequenas lembranças físicas no seu diário de viagem

Talvez você já tenha o hábito de guardar na mala bilhetes, entradas, notas fiscais de uma cafeteria. Eu nunca fui uma pessoa muito organizada, mas sempre colecionei esses pequenos souvenirs de cada destino. Mas como eu não tinha nenhum sistema de organização, voltava tudo solto na mala e depois as lembranças iam para numa caixa de sapatos.

Sempre que eu precisava resgatar alguma coisa naquelas lembranças, era um sufoco daqueles. Revirar centenas de pequenos papéis até achar o que eu procurava – ou não!

O diário de viagem me ajudou nisso também. Agora, posso anexar essas pequenas lembranças e deixar tudo organizado, na página relacionada do meu diário de viagem. Ele vai ficando cada vez maior, com as lembrancinhas anexadas. Mas até isso eu acho bacana: os guardados dão um ar pessoal e emocionante para as memórias de viagem. Fica tudo junto ali, esperando a gente voltar em cada página e recordar as sensações.

Não se limite a um formato específico

O diário é seu. Ninguém precisa desistir de ter um diário de viagem porque pesquisou uns modelos no Pinterest e descobriu verdadeiras obras de arte em forma de diário. O formato foi meu primeiro limitante, porque eu via aquelas caligrafias perfeitas, aqueles desenhos, e eu nunca fui muito boa com designs elaborados.

Quando eu desapeguei da necessidade de perfeição, meu diário de viagem realmente engrenou. Sem cobranças e muito mais produtivo. Você pode fazer desenhos elaborados, ou não. Escrever notas, textos, prosa ou poesia. Não tem forma certa ou errada de fazer um diário de viagem. Não fazer porque tem medo de ficar feio ou bagunçado é que é uma grande bobagem.

Anote o bom e o ruim

Nenhum destino é perfeito. As experiências ruins do seu dia também precisam ser anotadas no diário de viagem. Depois que a raiva ou frustração passar e você pensar direito sobre o que viveu, reflita sobre os seus perrengues. Eles poderiam ser evitados? Será que  se a culpa foi sua? Como você faria diferente? Porque você acha que alguma atração não vale a pena?

Quando você revisitar o seu diário, são esses detalhes que vão ajudar a construir um post sincero para seus leitores. Afinal, é muito difícil que uma viagem seja perfeita do início ao fim. E são essas dicas essenciais, da sua experiência real, que vão fazer diferença para o seu leitor. Aquela dica que só você pode dar, que ele não encontra em qualquer blog por aí.

Calma aí…

Dias de viagem podem ser uma loucura, né? Um dia após o outro, a gente vai saltando de atração em atração. Vocês já tiveram aqueles dias que parece que você viveu demais, aprendeu demais, fotografou demais… Ufa! As emoções se confundem, se misturam no ritmo da viagem.

Dedicar um momento para o diário de viagem vai te ajudar a refletir sobre tudo, repensar cada momento, anotar o essencial e não atropelar momentos. O diário de viagem, no fim, vai te ajudar a viajar melhor. Parar um pouco com a correria e aproveitar a sensação de realmente ‘estar lá, estar vivendo o destino’.

Na hora de blogar, selecione o que é relevante

Não use nenhum filtro no seu diário de viagem. Escreva e guarde tudo que te emocionar, encantar ou te chatear durante a viagem. Mas na hora de escrever o post, você precisa aplicar alguns filtros para escolher o que realmente merece ser citado.

Quem escreve sobre viagem precisa, a cada post, tomar a decisão sobre o que é relevante. Nossos textos precisam alcançar o equilíbrio entre a informação e a emoção, sem perder a objetividade. Pare e pense: até onde seu texto está sendo útil para o leitor e o que poderia ser cortado? Qual o nível de detalhamento necessário? O que está ‘sobrando’ no seu post?

Essa é uma escolha que só você pode fazer, depois de muita reflexão sobre o que é importante para você e o que vale a pena para o leitor. Por isso, dá pra dizer que seu processo de escrita vai estar em constante evolução. Escrever sobre viagem é uma arte, amigo blogger, e é preciso evoluir sempre.

3 comments
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *