Loading...
Conteúdo

O que realmente significa ser um nômade digital

O que realmente significa ser um nômade digital

Se você tem um blog de viagem, já deve ter sonhado com o dia em que você será pago para viajar. Comprar uma passagem só de ida e depois seguir de país em país como um nômade digital, vivendo experiências e contando tudo no seu site. Um escritório na praia, ou na cafeteria, ou em qualquer lugar.

O nomadismo digital é o sonho mais profundo de (quase) todo blogueiro de viagem. Mas será que estamos enxergando todo o cenário? Será que é mesmo isso que queremos? Será que estamos prontos? Pra responder isso, precisamos entender o  que realmente significa ser um nômade digital.

O que é ser um nômade digital?

A base do conceito do nomadismo digital é a liberdade. Você não está preso por nenhum vínculo físico/geográfico. Você pode realizar seu trabalho de qualquer parte do mundo, e normalmente o único requisito é ter acesso a internet.

O que realmente significa ser um nômade digital

O nômade digital não precisa necessariamente trabalhar e falar sobre viagens. Design, fotografia, tecnologia da informação, escritores, designs… – existe uma infinidade de profissões que você pode exercer para literalmente ‘trabalhar de qualquer lugar’. Se você tem um trabalho fixo ou é freelancer e pode trabalhar online e não precisa de estar alocado em uma base, você pode se tornar um nômade digital hoje mesmo. Ir morar no país dos seus sonhos, ou viajar de país em país, a escolha é sua!

E quando as viagens entram na conversa, claro que o nomadismo digital tem tudo a ver com o blogueiro de viagem. Cair na estrada, tirar fotos, fazer vídeos e contar tudo no blog. Melhor ainda: sendo pago por isso!

Se esse é o seu sonho, você pode estar se perguntando qual é o caminho para tornar tudo isso realidade. Como é possível viver viajando? A resposta para isso está na monetização do seu blog de viagem!

O dia-a-dia de um nômade digital

O nomadismo digital parece um sonho, mas é preciso lembrar que nem tudo é perfeito. Você vai viajar sozinho? Então vai encarar solidão, distância da família, saudades dos amigos. Passar Natal sozinho, comemorar aniversário com desconhecidos. Por outro lado, você vai conhecer paisagens incríveis, viver uma experiência de vida única e fazer novos amigos pelo mundo!

Agora vamos falar de trabalho. Você já pensou em escrever posts durante uma viagem? Quando conversamos sobre isso com outros blogueiros de viagem, a resposta quase sempre é assim: “Ah, eu prefiro aproveitar. Estou na cidade para conhecer o destino, os posts eu escrevo em casa”.

Quando você se torna um nômade digital, não dá mais pra ser assim. Você precisa trabalhar enquanto viaja, e isso nem sempre é fácil. Quase sempre, a vida de nômade digital tira uma coisa super importante de você: a rotina.

E você pode não acreditar, mas estabelecer uma rotina faz muita diferença para a produtividade. Como um nômade digital, hoje você está aqui, amanhã pode estar lá. Você não tem um endereço fixo, pode morar em qualquer lugar.

Com isso, muita gente acaba sofrendo com a procrastinação. O temido ‘posso fazer amanhã’ pode surgir por causa de todas as variáveis da vida nômade. Às vezes não dá pra escolher o lugar de trabalho, por exemplo. O sonhado escritório na praia pode se transformar numa cafeteria apertada e barulhenta, com um sinal de wi-fi sempre caindo. Você é capaz de produzir assim?

Se ser um nômade digital realmente for seu sonho, em algum momento você vai encontrar o ritmo de viagem que vai conseguir conciliar viagens e trabalho. Vai ser difícil no começo, mas com disciplina você vai criar uma rotina de produção de conteúdo, e isso é essencial para um blogueiro que quer se manter como nômade digital.

Como manter o lifestyle de nômade digital

Brindes e parcerias não pagam contas. Para encarar a vida de um nômade digital, você vai embarcar em viagens longas, possivelmente para países bem distantes do lugar que você hoje chama de casa. Aluguel, alimentação, entradas e passeios. E pra isso você precisa de dinheiro, claro.

Ganhar dinheiro com um blog de viagem é uma conquista que não acontece do dia pra noite. Você vai precisar de muita dedicação para se estabelecer no mercado e enfim começar a ser reconhecido pelo que você faz: falar sobre viagem! E sabemos que a competição é dura, afinal todos nós queremos o sucesso.

Você vai precisar aprender muita coisa: SEO, marketing digital e mídias sociais, análise de desempenho, só pra dar alguns exemplos. Ser blogueiro é um trabalho tão duro quanto qualquer outro, especialmente se você vem de uma área de formação bem diferente e chegou até aqui porque gosta de viajar e decidiu criar um blog de viagem.

Atingir o sucesso é difícil. Muita gente vai desistir pelo caminho, a maioria não vai chegar a um ano de blog. Mas pra ser um nômade digital, você tem que estar consciente que não dá pra fraquejar. Mantenha seu objetivo em mente, se dedique, aprenda sempre um pouco mais. Não espere ficar rico sendo nômade digital, isso é para bem poucos. Mas tenha certeza que é possível sim ganhar dinheiro e viver como blogueiro de viagem.

O lado bom de ser um nômade digital: o que você ganha com isso

Talvez eu tenha assustado você um pouco até agora. Mas calma, isso foi apenas a parte inicial da nossa conversa. Até agora, mostramos o lado duro, para você entender a realidade e refletir se você quer mesmo colocar o nomadismo digital como uma realidade na sua vida.

Se você chegou até aqui, possivelmente você está levando esse papo a sério, então chegou a hora de falarmos da parte boa de ser um nômade digital. Afinal, o que você vai ganhar com isso?

O que realmente significa ser um nômade digital

  • Liberdade – você pode trabalhar de onde quiser, morar no seu país favorito, ou morar num país a cada mês. Seu trabalho pode ser realizado de qualquer lugar e onde você vai estar só depende de você.
  • Independência – Você é o dono do seu próprio negócio, e pode decidir fazer hora extra ou tirar o final de semana de folga.
  • Networking – você pode conhecer pessoas, fazer amigos, estabelecer relações no mundo todo. Isso faz muita diferença pra você, como pessoa e como profissional.
  • Você vai trabalhar com o que gosta: viagens! E ser pago por isso!

E aí, qual sua conclusão?

Ser nômade digital é a profissão certa pra você? O que você está fazendo hoje para viver o seu sonho? Conta pra gente nos comentários!

 

2 comments
  1. Jessica Cezar

    Para mim o conceito de “nômande digital” está muito mais ligado à essencia da palavra “nômande”do que especificamente com os pontos relatados no final do texto. Não que eu discorde, claro que não!
    Mas é possível ter liberdade de trabalhar onde quiser, como no meu país favorito; ter a independência de ter o meu próprio negócio; fazer esse networking e ainda viajar pelo mundo e ganhar (dinheiro) por isso… Tudo isso sem precisar ser nômade. Mas tem que ser “digital” rs

    Como você disse, tem muitas profissões, não apenas essa que tanto lutamos por (blogueiro) que permitem alcançar esses “benefícios”, por assim dizer.

    Para mim o que mais pesa com relação a ser nômade digital é entender por quanto tempo isso é factível na realidade de vida de cada um. Acho perfeitamente possível um blogueiro de viagem que ganhe a vida assim morar, por exemplo, no Brasil. E estar sempre fazendo muitas viagens! hahaha

    Ou mesmo ter como base um país que goste muito, e sempre voar por aí.

    Oooooouuuu… ficar morando de cidade em cidade, de país em país. Esse estilo de vida eu acho que é para poucos. Exige um desapego e um desprendimento de tudo que é material. Do convívio com família, ou com amigos, ou mesmo com vizinhos, já que não se cria raíz em lugar algum. Desapego de coisas materiais, como livros, canecas, roupas e até um cama para chamar de sua. Desapego de ter um lugar para voltar e chamar de lar.

    Eu já sonhei muito em ser “nômande” e voar de galho em galho pelos cantos do mundo… Mas quando tive que deixar para trás (quase) tudo que eu tinha de material, para realizar o sonho de vir morar na Europa, aí que a coisa apertou e que senti como é difícil desapegar.

    Estou morando na Polonia desde abril e em junho eu e meu marido tivemos a oprotunidade que muita gente sonha (e a gente também), de viajar para vários lugares diferentes, sem ter tempo nem de lavar a roupa e desfazer a mala quando chegavamos em casa. Foi menos de uma semana para planejar uma viagem de três dias para Praga (uhull! que legal!). Chegamos em casa, vamos descansar? Não! Mais três dias para planejar uma viagem de uma semana para o Marrocos (com direito a dormir no deserto! que canseira!) e voltando para casa mais dois dias para planejar uma viagem de quatro dias para Berlim (dormindo em hostel, pq o orçamento estava apertado!!!).

    Foi maravilhoso? Foi! Mas a gente só queria saber de voltar para a nossa casinha, dormir na nossa cama, comer a nossa comida e tomar banho na paz de Deus no nosso banheiro. hahaha

    Enfim… Só estou escrevendo isso como um desabafo de quem sonhou em ser “nômande” um dia, mas que agora quer sossegar um pouquinho aqui e, quem sabe em alguns anos, mudar para outro país e assentar lá novamente. (Inclusive, tivemos a oportunidade de ir morar em Berlim, na ocasião dessa última viagem, mas não quisemos passar por todo desgaste emocional que é mudar de um país, procurar nova casa para morar, conhecer novas pessoas para criar relacionamentos etc).

    s2

    1. Klécia Cassemiro

      Oi Jessica,
      pois é! A ideia do post foi justamente mostrar que esse sonho de nomadismo digital não é bem essa maravilha que a gente idealiza. Você mesmo descreveu que mesmo que seja por poucas semanas, ficar de galho em galho pode deixar a gente com falta de pequenas coisas, como um banho no nosso banheiro de casa!
      E sim, podemos ser nômades no Brasil, podemos escolher um país base, ou podemos manter nossa rotina de férias, com um lar pra voltar depois de cada férias. Vai do nível de desapego e sonho de cada um, e acho que é muito válido fazer como você: experimentar um pouco de cada para entender bem o que é que estamos sonhando e o que queremos viver 🙂
      Obrigada pela participação por aqui, sempre contribuindo tanto na conversa! 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *